sexta-feira, 27 de março de 2015


ALTO FOLIA 27,28 E 29-03-15 - ALTO DO RODRIGUES-RN



FESTA DO TRABALHADOR - CLUBE DA PRAIA - 30-04-15 (5ª FEIRA) - COBERTURA TOTAL BLOG OLHO DE MACAU



ASSASSINADO DE UM JOVEM CONHECIDO POR BRUNO MANTEIGA EM CARAÚBAS É UM MISTÉRIO.


Na noite de hoje 26/03 por volta das 21:20hs um jovem foi assassinado na cidade de Caraúbas.
A vítima por nome de Bruno Sales, mais conhecido por Bruno Manteiga foi alvejado por cerca de oitos disparos de arma de fogo, Bruno ainda foi socorrido para o hospital da cidade, mais não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.
Segundo informações Bruno tocava em uma banda do município, e não tinha nenhum envolvimento com coisas ilícitas.
Alguns amigos informaram que nem beber Bruno bebia e que era uma ótima pessoa. Mais um mistério para a polícia de Caraúbas resolver.(focoelho)

Copiloto de avião passou por tratamento psiquiátrico, diz jornal


27/03/2015 06h12 - Atualizado em 27/03/2015 07h42

Segundo jornal 'Bild', tratamento ocorreu antes de completar formação.

Revista diz que material apreendido em casa respalda tese de transtornos.

Da G1, em São Paulo
Andreas Lubitz, copiloto do avião da Germanwings apontado como responsável pela derrubada do avião, em foto de setembro de 2009, enquanto corria a meia maratona de Hamburgo (Foto: Foto-Team-Mueller/Reuters)Andreas Lubitz, copiloto do avião da Germanwings apontado como responsável pela derrubada do avião, em foto de setembro de 2009, enquanto corria a meia maratona de Hamburgo (Foto: Foto-Team-Mueller/Reuters)
O copiloto da Germanwings suspeito de ter derrubado de forma proposital um Airbus A320 nos Alpes franceses esteve por um ano e meio sob tratamento psiquiátrico antes de completar sua formação, afirmou nesta sexta-feira (27) o jornal alemão "Bild". O acidente, que ocorreu na última terça-feira (24), deixou 150 mortos.
De acordo com o jornal, que cita como fontes "círculos da Lufthansa", as razões pelas quais Andreas Lubitz, de 28 anos, interrompeu sua formação em 2009 se deveram a uma grave depressão diagnosticada nesta época.
Com base em fontes e documentos internos da Lufthansa, o "Bild" disse que Lubitz passou no total um ano e meio em tratamento psiquiátrico, e que documentos relevantes serão enviados aos investigadores franceses após serem examinados por autoridades alemãs.
A edição digital da revista "Der Spiegel" afirma, além disso, que nas operações realizadas ontem durante horas nas duas casas do copiloto - a de seus pais e a própria, em Düsseldorf - foram apreendidos materiais que respaldam a tese dos transtornos psíquicos.
A revista não apresenta, no entanto, mais detalhes sobre os materiais apreendidos.
A polícia alemã apenas informou que recolheu pistas em uma das residências do copiloto.
"Durante a inspeção do apartamento do copiloto, recolhemos pistas. São vários objetos e documentos", afirmou o porta-voz da polícia de Dusseldorf, Marcel Fiebig.
Os policiais apreenderam um computador e duas grandes malas, além de uma caixa, visivelmente cheias, após as inspeções nas duas casas do copiloto, em Dusseldorf e em Montabaur, no estado de Renania-Palatinado (oeste da Alemanha).
Treinamento interrompido
O "grave episódio depressivo" a que se refere o "Bild" ficou constatado, segundo o jornal, na ata sobre o copiloto do departamento de tráfego aéreo alemão sob o código "SIC", que se refere à necessidade de que sujeito em questão se submeta a "revisões médicas regulares".
O mesmo jornal revelou que o piloto tentou abrir a porta da cabine com um machado ao ficar trancado do lado de fora, antes da queda.
O fato de que o copiloto que causou a catástrofe aérea tenha interrompido durante um período relativamente longo sua formação na escola aérea da Lufthansa foi reconhecido pelo presidente da companhia, Carsten Spohr.
O próprio Spohr evitou, no entanto, especificar a que se deveu esta interrupção, alegando que está sob a prerrogativa da confidencialidade médica.
Lubitz começou sua aprendizagem aos 14 anos em um clube de aviação local e ingressou na escola de Brêmen da Lufthansa em 2007.
Em 2009 interrompeu por alguns meses essa formação, que retomou posteriormente até ingressar na Germanwings, filial de baixo custo da Lufthansa, em 2013.
Spohr reforçou ontem que, tanto ao ingressar na escola como ao retomar e completar sua instrução, Lubitz passou pelos mais rigorosos exames, tanto físicos como mentais.
Mapa queda de avião França V3 (Foto: G1)

quinta-feira, 26 de março de 2015


quarta-feira, 25 de março de 2015


ALTO FOLIA 27,28 E 29-03-15 - ALTO DO RODRIGUES-RN



FESTA DO TRABALHADOR - CLUBE DA PRAIA - 30-04-15 (5ª FEIRA) - COBERTURA TOTAL BLOG OLHO DE MACAU



Ator Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, morre ao 89 anos no Rio


O BRASIL FICOU MAIS TRISTE HOJE, ZÉ BONITINHO ERA UM DOS PERSONAGEM HUMORÍSTICO MAIS FANTÁSTICO QUE JÁ VI, SÓ COMPARÁVEL AOS PERSONAGENS DO MESTRE CHICO ANÍSIO.

Ele estava internado desde o dia 3 de fevereiro na UTI.

Causa da morte foi falência múltipla dos órgãos.

Do G1 Rio
O ator Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, de 89 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (26). Ele estava internado no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, desde o dia 3 de fevereiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Jorge Loredo (em 400) - 1925-2015 (Foto: Ana Ottoni/Folhapress/Arquivo)Ato Jorge Loredo como Zé Bonitinho
(Foto: Ana Ottoni/Folhapress/Arquivo)
Em nota, a assessoria de imprensa do hospital informou que Loredo estava internado desde o dia 3 de fevereiro e que a partir do dia 13 foi mantido na Unidade Cardio Intensiva. "Loredo lutava há anos contra uma Doença Pulmunar Obstrutiva Crônica (DPOC) grave e um Efisema Pulmunar", disse o texto.
A causa da morte foi falência múltipla dos órgãos. Apesar da idade, até dois anos atrás o humorista continuava trabalhando e usando as redes sociais para falar com os fãs e divulgar sua agenda de shows.
Personagem
"Zé Bonitinho, o perigote das mulheres", como o personagem de Loredo se apresentava nos esquetes de humorísticos, fez parte do enredo "Beleza pura?" da escola de samba União da Ilha, que celebrou a beleza em suas várias interpretações. Zé Bonitinho se achava um galã irresistível, sempre ajeitando a cabeleira com um pente enorme, tão grande quanto seus óculos escuros.
Jorge Loredo nasceu em 7 de maio de 1925 (completaria 90 anos em 2015) e foi criado em  Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.
A infância e a juventude foram marcadas por doenças graves para a época: aos 12 anos, com osteomielite na perna, sofria de dores constantes. Aos 20 anos, com  tuberculose, foi internado num sanatório, situação que acabou por lhe abrir as portas para a carreira. Incentivado pelos médicos, participou de um grupo teatral no hospital e descobriu sua vocação para os palcos.
O personagem Zé Bonitinho foi criado por Loredo, inspirado num colega que se achava um grande galã. O ator costumava imitá-lo nas festas, arrancando gargalhadas. Zé Bonitinho estreou na televisão em 1960 no programa “Noites Cariocas”, exibido pela extinta TV Rio, com os primeiros textos roteirizados por Chico Anysio.
Bordões
Em 2010, ano em que completou 50 anos, Zé Bonitinho continuava na TV, no humorístico “A praça é nossa”. O irresistível personagem tinha bordões inesquecíveis, que Loredo repetia com a voz impostada de um conquistador: "Câmera, close; microfone, please", ou "Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz!".
Jorge Loredo e Selton Mello no set de 'O palhaço' (Foto: Divulgação)Jorge Loredo e Selton Mello no set de 'O palhaço', filme de 2011 do qual o ator participou (Foto: Divulgação)
No final dos anos 50, Loredo já era famoso com o mendigo filósofo que interpretava na TV Rio no programa “Rio cinco para as cinco’ e depois em “A praça é nossa”, com Manoel de Nóbrega, a quem o mendigo se apresentava com o bordão "Como vai, meu nobre colega?".
O comediante Jorge Loredo, intérprete de Zé Bonitinho, em foto de março de 1999 (Foto: Agência O Dia/Estadão Conteúdo)Loredo em foto de março de 1999 (Foto: Agência O
Dia/Estadão Conteúdo)
O personagem usava fraque e cartola, bem esfarrapados, monóculo e luvas. O figurino, segundo contava Loredo, foi tirado de um filme em Charles Laugthon fazia o papel de um mendigo aristocrata.
O personagem surgiu por ideia de sua mãe, que na infância conhecera um mendigo elegante que ia à sua casa pedir comida, mas queria uma mesa montada na garagem com toalha de renda e tudo.
O mendigo filósofo fez tanto sucesso que Loredo teve como padrinho de casamento o ex-presidente Juscelino Kubistcheck. O que lhe valeu um bordão famoso. Ele terminava o quadro do mendigo dizendo: “Agora vou encontrar com aquele menino, o Juscelino...”.
Criou outros tipos: um italiano que não podia ver televisão porque queria quebrá-la; o profeta Saravabatana, que andava com uma cobra que dava consultas a mulheres; e o professor de português que tinha a voz do Ary Barroso.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.