sexta-feira, 29 de maio de 2015

PIZZARIA REI DAVI - AGORA NA PRAÇA DA CONCEIÇÃO EM MACAU


                                            PIZZARIA REI DAVI EM NOVO ENDEREÇO
                                           PRAÇA DA CONCEIÇÃO, 91A - MACAU-RN
   
                                            PROMOÇÕES:
                                            3ª FEIRA -  DESCONTOS 10%  NA COMPRA
                                                                DE PIZZA (P M G GG EXTRA GG

                                            5ª FEIRA - COMPRA DA PIZZA  ¨G¨  GANHE

                                                              01 REFRIGERANTE DE 01 LITRO

                                             ADQUIRA SEU CARTÃO FIDELIDADE REI

                                             DAVI E TENHA DESCONTOS DE 10%  NA 
                                             COMPRA DE PIZZA A PARTI DA ¨G¨.


TRADIÇÃO EM SERVIR A MACAU HÁ 48 ANOS - PIONEIRISMO NO RAMO DA HOTELARIA NA REGIÃO SALINEIRA.


ATENÇÃO MUITO CUIDADO: ELEMENTOS EM UM CARRO BRANCO TENTOU RAPTAR DUAS CRIANÇAS EM ALTO DO RODRIGUES


Recebemos a informação do Sub. Ten. Cesar comandante do destacamento da cidade de Alto do Rodrigues, que pessoas que estavam em veículo de cor branca do tipo fiat uno teriam tentando raptar duas crianças na cidade.
Todo cuidado é pouco, a polícia está em diligencias e qualquer informações, ou atitude suspeitas, ligue imediatamente para a polícia.


ATUALIZAÇÃO DE INFORMAÇÃO

ATUALIZADO ÀS 20:45hs.......... Informações repassadas ao blog pela polícia civil da cidade de Pendencias, esclarece essa história de tentativa de rapto de criança.
A polícia civil informou que populares falaram ao pai de uma criança que uma pessoa desconhecida estava dando balas as crianças, e tinha saído num carro branco, diante desta informação, o pai desesperado saiu atrás e anotou a primeira placa do carro que viu pela frente, e acionou a policia militar.

A polícia informa que o carro realmente existe, mais não tem nada a ver com essa história, e também não houve tentativa de rapto, apenas uma gentileza que até nisso hoje é perigoso. Declarou o policial civil de Pendências.

Saidinha de Banco em Macau, Mulher diz que foi assaltada com onze mil reais

Posted at  12:16 - by Jota Lourenço

0
  
A policia Militar de Macau foi acionada no final da manha desta sexta feira 29 de maio, após realização de uma saidinha de banco.  roubo que na maioria das vezes acontece nas grandes cidades, a vitima. uma mulher,  procurou as autoridades policiais e relatou que entrou na agencia da caixa econômica Federal de Macau, onde fez um saque de onze mil reais. para seu marido pagar um automóvel. e quando saia, em frente a referida   agencia, a mulher foi abordada por dois homens que estavam de moto, segundo relatos da mesma a policia, um deles desceu e o outro ficou aguardando, a narrativa da vitima, diz que o elemento ameaçou está com uma arma dentro da camisa e queria o dinheiro que estava na bolsa e se ela não desse, o amigo dele iria pegar um parente dela que estava aguardando a mesma nas proximidades  onde aconteceu o fato, diante de tais ameaças, a vitima entregou o dinheiro, ainda segundo ela contou a policia. os malas saíram na mesma rua com destino a saída da cidade pela contra-mão(via Bradesco), e que um usava camiseta listrada cinza e o outro camisa azul clara, as policias civil e Militar estiveram verificando o circuito interno de câmeras da agencia e não foi constatado a abordagem dos elementos a vitima, o próximo passo dos policiais será checar as imagens de câmeras de algumas lojas que ficam situadas nas proximidades da agencia e em outras partes da rua Martins Ferreira, pode ser que haja possibilidade do roubo não ter sido registrado pelas câmeras do banco ou da vizinhança, as policias Militar e Civil continuam  trabalhando no caso.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES DE MACAU, CONVIDA TODOS OS ÓRGÃOS DE IMPRENSA E MOTO CLUBES, PARA MISSA IN MEMORIA DA VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO


PIZZARIA REI DAVI - AGORA NA PRAÇA DA CONCEIÇÃO EM MACAU


                                            PIZZARIA REI DAVI EM NOVO ENDEREÇO
                                           PRAÇA DA CONCEIÇÃO, 91A - MACAU-RN
   
                                            PROMOÇÕES:
                                            3ª FEIRA -  DESCONTOS 10%  NA COMPRA
                                                                DE PIZZA (P M G GG EXTRA GG

                                            5ª FEIRA - COMPRA DA PIZZA  ¨G¨  GANHE

                                                              01 REFRIGERANTE DE 01 LITRO

                                             ADQUIRA SEU CARTÃO FIDELIDADE REI

                                             DAVI E TENHA DESCONTOS DE 10%  NA 
                                             COMPRA DE PIZZA A PARTI DA ¨G¨.


TRADIÇÃO EM SERVIR A MACAU HÁ 48 ANOS - PIONEIRISMO NO RAMO DA HOTELARIA NA REGIÃO SALINEIRA.


Deputados aprovam fim da reeleição para presidente, governador e prefeito


Antes, Câmara aprovou doação de empresas a partidos, não a candidatos.

Texto completo da reforma política ainda terá que ser votado em 2º turno.

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (27), por 452 a favor, 19 contra e uma abstenção, o fim da reeleição para presidente da República, governador e prefeito. A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada à apreciação das propostas de reforma política.
O texto do fim da reeleição, de autoria do relator, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não altera o tempo atual de mandato (quatro anos), mas, nesta quinta-feira (28), o plenário analisará a ampliação da duração do mandato para cinco anos. Antes de votar o fim da reeleição, os deputados rejeitaram nesta quarta o financiamento exclusivamente público das campanhas e aprovaram a doação de empresas a partidos, mas não a candidatos.
A proposta de emenda à Constituição da reforma política começou a ser votada no plenário nesta terça (26). Por decisão dos líderes partidários, cada ponto da PEC, como o fim da reeleição, será votado individualmente, com necessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma política será votado em segundo turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado.
Fim da reeleição
Pelo texto aprovado pelos deputados, a nova regra de término da reeleição não valerá para os prefeitos eleitos em 2012 e para os governadores eleitos em 2014, que poderão tentar pela última vez uma recondução consecutiva no cargo. O objetivo desse prazo para a incidência da nova regra foi obter o apoio dos partidos de governantes que estão atualmente no poder.
Durante a votação em plenário, os líderes de todos os partidos orientaram que os deputados das bancadas que votassem a favor do fim da reeleição.
“O entendimento da nossa bancada é que [a reeleição] foi um instrumento que não se mostrou produtivo para o nosso país”, disse o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ).
Também defensor do fim da reeleição, o líder do Solidariedade, Arthur Maia (BA), argumentou que o uso da máquina pública pelo governante que está no poder torna desigual a disputa com outros candidatos.
“É desigual e injusto alguém disputar eleição contra o governante que está no poder com todos os favorecimentos que este poder proporciona”, discursou.
O líder do PT, Sibá Machado (AC), defendeu o fim da reeleição, com a manutenção do mandato de quatro anos.
“Nossa bancada vai orientar o voto sim, pelo fim da reeleição. Todos nós sabemos que a reeleição foi introduzida por um governo do PSDB”, declarou.
O PSDB também defendeu acabar com a possibilidade de reeleição, ressaltando porém, que essa regra “cumpriu o seu papel histórico”.
“A avaliação da bancada é que devemos caminhar para um novo ciclo, pelo fim da reeleição com mandato de cinco anos. Amanhã [quinta[, discutiremos o período do mandato”, disse o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG).
Financiamento
Mais cedo, nesta quarta, a Câmara aprovou incluir na Constituição autorização para que empresas façam doações de campanha a partidos políticos, mas não a candidatos (veja no vídeo ao lado).
As doações a candidatos serão permitidas a pessoas físicas, que poderão doar também para partidos. O texto foi aprovado por 330 votos a favor e 141 contra.
No início da madrugada de quarta, o plenário havia rejeitado emenda de autoria do PMDB que previa doação de pessoas jurídicas tanto a partidos quanto a campanhas de candidatos.
A derrubada dessa emenda foi interpretada por lideranças políticas como uma derrota do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do vice-presidente Michel Temer, que negociaram pessoalmente a votação do artigo da PEC.
O PMDB, então, se empenhou para aprovar, pelo menos, uma emenda que garantisse a doação de empresas aos partidos políticos.
Outras siglas da base aliada e da oposição defenderam a proposta, como o PR. “Esse é o texto mais equilibrado que temos. Impede a doação a varejo aos candidatos, mas permite a doação aos partidos. Posteriormente as leis estabelecerão limites a essas doações”, disse o líder do PR, Maurício Quintella Lessa.
O PT, porém, favorável ao financiamento exclusivamente público, se posicionou contra. O vice-líder do partido Alessandro Molon (PT-RJ) defendeu a derrubada da emenda para que se negociasse, posteriormente, uma solução em projeto de lei que garantisse maior “equilíbrio” na distribuição de recursos de campanha.
“Se derrotarmos, teremos tempo para conseguir uma solução para todos nós. Hoje, pela regra, qualquer um de nós pode receber, partidos e candidatos. Se essa emenda for aprovada, só os partidos poderão receber recursos. Vamos encontrar uma solução que estabeleça uma distribuição equânime”, defendeu.
APOSENTADOS
27/05/15 | FONTE: AGÊNCIA SENADO

Senado aprova MP que altera regras de pensão por morte, auxílio-doença e fator previdenciário

Da Redação | 27/05/2015, 19h17 - ATUALIZADO EM 27/05/2015, 20h24     
O Senado aprovou nesta quarta-feira (27) a Medida Provisória 664/2014 que altera as regras para o recebimento do auxílio-doença e da pensão por morte, impondo carências e tempo de recebimento conforme a faixa de idade do beneficiário. A MP faz parte do pacote de ajuste fiscal do governo federal e segue para a sanção presidencial.
O texto-base é o relatório do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), acatado pelo relator revisor no Senado, Telmário Mota (PDT-RR), com três emendas aprovadas na Câmara: alternativa ao fator previdenciário; regulamentação da pensão por morte para pessoas com deficiência; e exclusão do prazo de pagamento sobre o auxílio-doença.
Para o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), o relatório conseguiu eliminar as possibilidades de gerar qualquer tipo de prejuízo aos trabalhadores e a proposta vai corrigir distorções e contribuir para o esforço do ajuste.
Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) afirmou que votou a favor da matéria “de cabeça erguida” por considerar que se trata de uma minirreforma da Previdência Social do Brasil.
– É preciso corrigir o que está errado, porque o Brasil é um dos poucos países onde não há carência do número de contribuições para se ter direito à pensão – observou.
Apesar de apoiar a proposta de flexibilização do fator previdenciário, mas impedido regimentalmente de votar o texto em separado, o líder dos democratas, senador Ronaldo Caiado (GO), acusou a medida de prejudicar as viúvas e os trabalhadores com problemas de saúde.
O líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PB), também chamou o governo de “perdulário, ineficaz e ineficiente”, transferindo a conta dos seus erros para os trabalhadores. Ele ainda criticou a interferência do Estado nas relações familiares.
– O governo do PT quer escolher a data da morte das pessoas e definir com que idade elas devem escolher seus parceiros, mesmo dentro de um regime de contribuição – disse.
Pensão por morte
A proposição prevê regras mais duras para a concessão de pensão, determinando que o direito só seja concedido ao cônjuge que comprove, no mínimo, dois anos de casamento ou união estável. A intenção é evitar fraudes e casamentos armados com pessoas que estão prestes a morrer. Atualmente, não há exigência de período mínimo de relacionamento.
O texto do relator mantém a exigência de 18 contribuições mensais ao INSS e/ou ao regime próprio de servidor para o cônjuge poder receber a pensão por um tempo maior. Se não forem cumpridos esses requisitos, ele poderá receber a pensão por quatro meses. A MP original não permitia esse curto período de benefício.
Apenas o cônjuge com mais de 44 anos terá direito à pensão vitalícia. A intenção é acabar com a vitaliciedade para os viúvos considerados jovens. Para quem tiver menos, o período de recebimento da pensão varia de três a 20 anos.
Para o cônjuge com menos de 21 anos, a pensão será paga por três anos; na faixa de 21 a 26 anos, por seis anos; entre 27 e 29, por dez anos; entre 30 e 40 anos, por 15 anos; na idade de 41 a 43, por 20 anos; e para os com 44 anos ou mais ela continuará vitalícia como era para todas as idades antes da edição da MP.
Esses números foram estabelecidos de acordo com a expectativa de vida definida pela Tabela Completa de Mortalidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vigente na ocasião.
A parte da pensão que couber aos filhos ou ao irmão dependente deixará de ser paga aos 21 anos, como é hoje, sem qualquer carência. Os inválidos receberão até o término dessa invalidez.
Exceções
No caso do cônjuge considerado inválido para o trabalho ou com deficiência, o texto aprovado permite o recebimento da pensão enquanto durar essa condição.
Deverão ser observados, entretanto, os períodos de cada faixa etária, assim como os quatro meses mínimos de pensão caso as carências de casamento ou contribuição não sejam cumpridas.
Outra exceção à regra geral da pensão por morte é para o segurado que morrer por acidente de qualquer natureza ou doença profissional ou do trabalho. Mesmo sem as 18 contribuições e os dois anos de casamento ou união estável, o cônjuge poderá receber a pensão por mais de quatro meses, segundo as faixas de idade, ou por invalidez ou por ter deficiência.
As mesmas regras para a concessão e revogação da pensão por morte serão aplicadas no caso do auxílio-reclusão, um benefício pago à família do trabalhador ou servidor preso.
A MP também inclui na legislação previdenciária e do servidor público a previsão de perda do direito à pensão por morte para o condenado, após trânsito em julgado, pela prática de crime que tenha dolosamente resultado a morte do segurado, como já previsto no Código Civil.
Auxílio-doença
Foi mantida a regra atual para o pagamento do auxílio-doença. Ou seja, as empresas pagam os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador e o governo federal paga pelo período restante. A proposta original da MP era que a responsabilidade pelo pagamento dos primeiros 30 dias do benefício fosse do empregador.
O cálculo para limitar o valor do auxílio-doença será feito segundo a média aritmética simples dos últimos 12 salários de contribuição. Fica proibido o pagamento desse auxílio ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social com doença ou lesão apontada como causa para o benefício, exceto se a incapacidade resultar da progressão ou agravamento dela.
Perícia médica
Segundo o texto aprovado, a perícia médica para a concessão dos benefícios da Previdência não será mais exclusiva dos médicos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
Nos locais onde não houver perícia do INSS ou se o órgão não for capaz de dar um atendimento adequado aos usuários, a perícia poderá ser realizada em órgãos e entidades públicos que integrem o Sistema Único de Saúde (SUS) ou por entidades privadas vinculadas ao sistema sindical e outras de “comprovada idoneidade financeira e técnica”.
Caberá aos peritos médicos da Previdência Social a supervisão da perícia feita por meio desses convênios de cooperação.
Flexa Ribeiro (PSDB-PA) criticou o que considera a terceirização para os peritos médicos. Na opinião do senador Walter Pinheiro (PT-BA), no entanto, a medida trará um “novo perfil para a área” e deve acabar com todo tipo de manipulação, o que seria uma luta da categoria.
Fator Previdenciário
Alternativa ao fator previdenciário, emenda incorporada ao texto-base da MP foi consenso no Plenário e estabelece que o trabalhador receberá seus proventos integrais pela regra do 85/95. No cálculo da aposentadoria, a soma da idade com o tempo de contribuição deve resultar em 85 para a mulher e 95 para o homem.
O fator previdenciário, aprovado em 1999, tem o objetivo de retardar as aposentadorias dentro do Regime Geral da Previdência Social. Pela regra do fator, o tempo mínimo de contribuição para aposentadoria é de 35 anos para homens e 30 anos para mulheres. O valor do benefício é reduzido para os homens que se aposentam antes de atingir os 65 anos de idade, ou, no caso das mulheres, aos 60 anos.
Para o senador Otto Alencar (PSD-BA), a modificação do fator previdenciário é necessária porque ele é "perverso" para o aposentado ao incluir a expectativa de vida no cálculo do benefício.
Paulo Paim (PT-RS), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), e vários outros senadores favoráveis à aprovação da proposta, questionaram a possibilidade de a presidente Dilma Rousseff vetar essa parte da medida provisória. Ao contrário de Omar Aziz (PSD-AM) e Jader Barbalho (PMDB-PA), que defenderam um voto de confiança no governo, acima das questões político-partidárias.
Vigência
Os principais dispositivos da Medida Provisória entraram em vigor em 1º de março de 2015. A maioria das alterações afeta tanto o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) quanto o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), referente aos servidores civis da União. Não são afetadas as pensões militares.